Um Século de Jornalismo na Bahia 1912-2012


umSeculoDeJornalismoNaBahia

Um Século de Jornalismo na Bahia 1912-2012

Salvador: Solisluna Editora, 2012
200 páginas
R$99 (na editora) Tel: (71) 3379-6691
www.solislunaeditora.com.br

Acesse a versão digital do livro clicando aqui.
A Tarde, 100 anos
Book Day debate livro sobre 100 anos de jornalismo na Bahia
O grupo A Tarde lança no Rio “Um século de jornalismo na Bahia” na livraria da Travessa em Ipanema
Livro sobre A Tarde é apresentado na ALB

 

Paixão e sucesso
Luiz Ranulfo Bocayuva Cunha

Uma história de paixão pelo jornalismo. Assim pode ser resumido um século de vida do Jornal A TARDE, que se perpetuou, entre 1912 e 2012, comprovando credibilidade e independência, características originais preconizadas pelo seu fundador, o jornalista, empresário e político Ernesto Simões Filho.

“Imparcial, mas não indiferente; neutro, mas não se esquivaria das controvérsias partidárias. Mais sereno do que violento mas, se atacado, repeliria a ofensa à altura”, definia no primeiro número sua linha editorial.

Dividido em décadas e amparado em cuidadosa pesquisa de textos e imagens, este livro é fruto do desejo de compartilhar e relembrar a história da Bahia, do Brasil e do mundo a partir do olhar único, diário, analítico e combativo de um jornal cujo pilar fundamental sempre foi o respeito aos princípios éticos e à liberdade de informação. Aliado inseparável dos baianos e da Bahia, soube ousar, criando projetos gráficos e editoriais inovadores paralelamente a práticas comerciais e administrativas em sintonia com as exigências do mercado.

Não é fácil se chegar aos cem anos. Se o fosse, outros jornais baianos também teriam conseguido. Por isso, lembramos que este centenário deve ser comemorado por todos os baianos, porque a importância de A TARDE transcende seus próprios limites empresariais, colocando-se no patamar de insubstituível instituição democrática baiana com objetiva missão social.

Como escreveu Jorge Amado, A TARDE é um ícone baiano comparável ao Mercado Modelo, Pelourinho, Elevador Lacerda ou Convento do Carmo.

A obrigação de informar e formar opinião é um dos compromissos mais sérios de A TARDE, que, ao longo desses anos, defendeu implacavelmente o interesse público, vencendo as perseguições externas e as adversidades econômicas. No mundo das comunicações online, o leitor perceberá que o jornal se adaptou e se renovou para enfrentar os desafios da múltipla competição, sem perder sua qualidade mais importante: a fidelidade às suas nobres origens.

É verdade também que este sonho só foi realizado graças ao envolvimento coletivo, trabalho intenso e criatividade constante de colaboradores e profissionais talentosos, aos quais agradecemos carinhosamente.

Este livro, que se esforça em revelar “[…] como se tornou A TARDE carne da carne, sangue do sangue do povo baiano”, conforme a expressão amadiana, é um presente para a Bahia.

Uma boa viagem nas notícias para todos.

 

Sumário

Simões Filho e A Tarde

Guerras e revoltas — 1912 – 1921

Heroismo e tragédias — 1922 – 1931

A Tarde resiste — 1932 – 1941

Páginas da nova era — 1942 – 1951

As grandes transformações — 1952 – 1961

Sonhos e sobressaltos — 1962 – 1971

Abalos e mudanças — 1972 – 1981

Ventos democráticos — 1982 – 1991

Dias de trovão — 1992 – 2001

Novas fronteiras — 2002- 2012

Um jornal resistente e polêmico

História viva constrói futuro

Referências e Notas da Edição

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *