Palavras de luz, imagens de nanquim: um olhar mais humano sobre as gentes, a natureza e os costumes do Recôncavo Baiano

A ênfase no jornalismo literário, hoje mais presente na mídia livro do que nos jornais, deve ser observada e acompanhada com atenção pela nossa universidade. Há no Brasil, uma tendência marcante que não deve ser subestimada. Basta ver  nesse sentido a atuação da Academia Brasileira de Jornalismo Literário (ABJL) que realiza em São Paulo um curso de pós-graduação lato sensu em Jornalismo Literário com resultados interessantes. A publicação, pela entidade, do livroJornalistas literários (Summus Editorial, 2007), reúne dezesseis reportagens feitas pelos alunos do curso e aponta para a necessidade urgente de se humanizar os textos jornalísticos, levantando informações históricas sobre regiões esquecidas, analisando fenômenos sócio-ambientais, enfocando costumes singulares e retratando seres humanos hoje praticamente excluídos do noticiário “objetivo” dos jornais.

Quantas histórias existem nas cidades, roças e povoados do Recôncavo Baiano que devem ser contadas? Histórias da gente de carne e osso e não apenas as dos heróis do passado, quase sempre idealizadas, quando não falsificadas de acordo com as conveniências dos vencedores. E como elas podem nos ajudar a entender e a transformar a realidade presente!

Acredito que os futuros jornalistas da UFRB serão capazes de contar essas histórias e de testemunhar sobre o tempo presente tendo como principais recursos a capacidade de levantar dados, de observar acuradamente a realidade e de, através da linguagem expressiva, gerar sentidos e construir significados. É, portanto, com esse objetivo que propomos a criação do grupo de pesquisa sobre o tema “um jornalismo mais humano”, que possibilitará: 1) produzir uma série de grandes reportagens sobre temas relacionados a questões ambientais e sócio-culturais do Recôncavo Baiano. 2) identificar, a partir da observação in loco, histórias de significado humano que possam ser contadas de forma sensível e atraente. 3) dar voz às pessoas e comunidades carentes que não dispõem dos seus próprios meios de comunicação social. 4) incentivar o desenvolvimento e a eficácia dos meios de comunicação social já existentes. 5) produzir registros e documentários audiovisuais sobre essas comunidades e temas abordados. 6) publicar uma coletânea de reportagens literárias. 7) produzir uma exposição de textos, fotografia e audiovisual sobre os temas abordados.

Coordenadores:

Carlos Ribeiro / c.ribeiro@pop.com.br / www.carlosribeiroescritor.com.br
Angelita Bogado / angelitabogado@yahoo.com.br

Alunos:

André Gustavo S. Cardoso / UFRB / Jornalismo
Antônio Heleno Caldas / UFRB /Jornalismo
Carine Costa dos Santos / UFRB /Jornalismo
Daiane Dória dos Santos / UFRB /Jornalismo
Daniela Pereira / UFRB / Cinema
Daniela Santos  UFRB / UFRB / Jornalismo
Diogo Silva de Oliveira / UFRB / Jornalismo
Eudes Freire / UFRB / Cinema
Fernando Mota da Silva Neto / UFRB / Jornalismo
Gustavo Henrique O. de Medeiros / UFRB /Jornalismo
Henrique Amaral / UFRB / Cinema
Jadson Dias Ribeiro / UFRB / Jornalismo
Jana Cambuí Alves Lima / UFRB / Jornalismo
Janaína Ezequiel França / UFRB / Jornalismo
Laiana Matos / UFRB / Jornalismo
Larissa de Almeida Araújo / UFRB / Jornalismo
Laura M. M. de Oliveira / UFRB / Jornalismo
Lise da Silva Lobo / UFRB / Jornalismo
Lucas Dias Reis / UFRB / Cinema
Maria Elsa Filgueiras  / UFRB / Jornalismo
Maria Olívia Lima de Andrade  / UFRB / Jornalismo
Marilene Gonçalves / UFRB / Jornalismo
Marília de Lima Marques / UFRB / Jornalismo
Monalisa Leal Melo / UFRB / Jornalismo
Renata Nascimento Souza / UFRB / Cinema
Suely Alves da Silva / UFRB / Jornalismo
Taiane Nascimento Nazaré / UFRB / Jornalismo
Tiago N. Gonçalves / UFRB / Cinema
Vonaldo Lopes Mota / UFRB / Cinema
Wendel Gomes / UFRB / Cinema

 

Resultados esperados:

  • Registro de diversas manifestações ambientais e sócio-culturais da região.
  • Estímulo à prática do jornalismo literário, ampliando e diversificando o mercado de trabalho no Estado da Bahia.
  • Desenvolver a prática e a reflexão do documentário.
  • Formação de profissionais capacitados para compreender e dar voz a pessoas e comunidades do Recôncavo Baiano.
  • Desenvolvimento de trabalhos focados no TCC e na pós-graduação.
  • Compreensão e conscientização sobre a realidade geográfica e cultural do Recôncavo Baiano.
  • Especialização nas áreas de fotografia de natureza, jornalismo cultural e de divulgação científica.
  • Especialização nas áreas de cinema e vídeo-documentário.
  • Promover atividades interdisciplinares entre os cursos de jornalismo e cinema.
  • Desenvolvimento de uma ação pioneira no estado da Bahia.
  • Integração da Instituição com comunidades locais.
  • Elaboração de produtos jornalísticos, artísticos e culturais, a exemplo de livro, exposições itinerantes e produção de vídeodocumentários.

Cronograma de execução:

  • Janeiro a junho / 2010 – Atividades preparatórias: leituras, estudos compartilhados, cursos, seminários, contatos com fontes etc.
  • Agosto a dezembro / 2010 – Atividade de campo: levantamento de dados, entrevistas, redação e elaboração do produto audio-visual etc.
  • Fevereiro a junho / 2011 – Elaboração dos produtos finais: livros, filmes, exposição.

Bibliografia básica:

BARCELOS,Caco.AbusadoRecord. 564 p.
CAPOTE,Truman.A sangue frio. Cia das Letras. 440 p.
HERSEY,John.Hiroshima. Cia das Letras. 176 p.
JOLLES, André. Formas simples. SP: Cultrix.
LABAKI, Amir. É tudo verdade: reflexões sobre a cultura do documentário. SP: Ed. Francis, 2005.
LINS, Consuelo. O documentário de Eduardo Coutinho. RJ: Jorge Zahar, 2004.
LONDON,Jack.O povo do abismo. Editora Fundação Perseu Abramo. 334 p.
MARIA, Júlio. Palavra cruzada – o jogo da entrevista Ed. Seoman. 320 p. R$32
MOLICA, Fernando. 10 reportagens que abalaram a ditadura.Record. 319 p.
PENA, Felipe. Jornalismo literário. Ed. Contexto. 144 p.
__________. Teoria do jornalismo. Ed. Contexto. 240 p.
RAMOS, Fernão Pessoa. Mas afinal… o que é mesmo documentário. SP: Senac, 2008.
RODRIGUES, Chris. O cinema e a produção. RJ: Faperj e DP&A, 2002
SARAIVA, Leandro; CANNITO, Newton. Manual de roteiro. SP: Conrad, 2004.
SILVEIRA, Joel.A milésima segunda noite da Av. Paulista. Cia das Letras. 216 p.
SILVERS, Robert B.; EPSTEIN, Barbara e HEDERMAN, Rea S. (Org.). 30 ANOS DO The New York Review of books: a primeira antologia. Editora Paz e Terra, 1997, 485 p.
TALESE, GayFama & anonimatoCia das Letras. 564 p.
VILAS BOAS, Sergio. Jornalistas literários: Narrativas da vida real por novos autores brasileiros. Summus Editorial, 2007.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *